Lucas Lenci | 2015

Lucas Lenci, Andares La Défense, 2014, impressão sobre papel  

Lucas Lenci, Andares La Défense, 2014, impressão sobre papel

 

 

Hominini

A nova fotografia de rua traz inovações às referências clássicas: pode ser colorida, ao invés de em preto e branco; pode ter montagens, pode apresentar a figura humana isolada na paisagem urbana. É assim que o fotógrafo Lucas Lenci a apresenta em seu novo trabalho, Hominini, com exposição a partir de 12 de agosto na Arteedições Galeria e livro a ser lançado pela Editora Madalena na SP-Arte/Foto.

“Este projeto surgiu a partir de duas percepcões principais: a primeira é que a figura humana não era protagonista no meu trabalho anterior, Desaudio, por isso minha atenção no homem e seu relacionamento com o espaço, além disso, eu fazia uma separação entre a fotografia de rua e a do dia a dia, da minha família, por exemplo.”, conta Lucas Lenci. “Percebi que, quando se tem algo para contar, a imagem pode estar em qualquer lugar, pode acontecer a qualquer momento”.

Com uma linguagem contemporânea, o artista revê a fotografia de rua, apresentando rupturas dos espaços pela figura humana. Em três imagens em preto e branco, que poderiam seguir modelos clássicos, Lucas realiza montagens de 24 frames cada uma, como a de pessoas correndo.

As cores têm um papel importante nesta nova fotografia de rua. Para Claudia Jaguaribe, coordenadora editorial do livro, este trabalho é mais soturno que o anterior. "Mas ao mesmo tempo, penso que estas imagens são um subconjunto do trabalho inicial. Lucas usa seu refinamento visual sutil para isolar o homem na paisagem, muito mais urbana do que natural”.

As cerca de 20 obras da exposição são recentes, de dois anos para cá, feitas em lugares como Brasília, São Paulo e até pequenas cidades do Brasil como São Miguél do Iguaçu, além de Nova York, Chicago e Paris. Mas assim como em Desaudio, os lugares não são particularizados, funcionam apenas como pano de fundo para a mensagem principal.

--

12 de agosto a 04 de setembro de 2015